Na época longinqua, onde a ferrovia ainda estava sendo contruída em São Paulo, uma equipe que atuava na construção do túnel de Botujuru, era chefiada pelo então Engenheiro Chefe Henry J. Beeck, que era inglês e empregado da São Paulo Railway, empresa que controlava o transporte ferroviário em São Paulo.

Botujuru é um bairro do município de Campo Limpo Paulista (Coordenadas: Latitude 23°15'15.73"S, Longitude 46°45'43.63"O), no Estado de São Paulo (Brasil).
Devido às características montanhosas da região de Botujuru, surgiu a necessidade de se construir um túnel para permitir a passagem da ferrovia até Campo Limpo Paulista.

O sistema de trabalho do Engenheiro Chefe Henry J. Beeck era muito enérgico, onde por quase nada os empregados eram punidos com medidas disciplinares, e em muitos casos, até com humilhções e ofensas pessoais.

Devido à essa característica, ele era odiado por todos os funcionários, os quais não suportavam sua presença, gerando pensamentos de vingança por todos que trabalhavam em sua equipe.

Tão grande era a raiva que os funcionários da ferrovia sentiam do Engenheiro Chefe Henry J. Beeck, que em certa data, decidiram assassiná-lo, eliminando dessa forma aquele que tanto os maltratava.

Os funcionários estavam injuriados com a severidade e desumanidade que eram tratados, e resolveram então por um fim à essa situação. Então no dia 23 de Abril de 1898 realizaram uma emboscada, surpreendendo o Engenheiro e o matando a sangue frio, e em seguida, segundo uma das versões, enterrando o seu corpo na mata.

Existem várias teorias sobre o paradeiro do corpo do Engenheiro, sendo uma delas de que nunca foi encontrado.
Outra hipótese é de que o corpo foi encontrado e posteriormente sepultado ao lado do leito da linha férrea, onde hoje existe uma sepultura contendo uma lápide com o seu nome.

Na lápide da sepultaura existente ao lado da linha férrea, pode-se ler os dizeres em Inglês “IN Memorian”, e mais abaixo a frase “Assassinated April 23- 1898”. Na entrada do túnel de Botujuru também foi construído um pequeno local para serem colocadas velas, talvez em homenagem ao Engenheiro assassinado.
Será que no interior dessa sepultura existe algum vestígio do corpo do Engenheiro assassinado, ou seria uma sepultura vazia?

Devido à esse crime bárbaro, desde datas antigas, existem muitos relatos de fatos sombrios que ocorrem na região do Túnel de Botujuru.

Ainda hoje dizem que pessoas que passam nas proximidades do Túnel de Botujuru às altas horas da noite, ouvem os ruídos das batidas de uma pá contra a terra, gemidos e o barulho de um corpo caindo em uma cova.

Outros relatos dizem que no trecho compreeendido pelo túnel de Botujuru, em noites frias e com muita neblina, pode ser visto um vulto que flutua sobre o leito da ferrovia, parecendo que está procurando algo, ou talvez vistoriando a obra de construção do túnel, a qual ocorreu à mais de cem anos.

Outros relatos contam que pessoas que passam por esse trecho também viram esse vulto parado na entrada no túnel, observandoas pessoas que por ali passam, como se etivesse "guardando" o túnel como se fosse seu dono.


Entrada do Túnel de Botujuro, mostrando o local onde as pessoas acendem velas, talvez em homenagem ao Engenheiro Assassinado.



Detalhe do local onde são colocadas as velas.



Lápide ao Lado da Via Férrea mostrando o nome do Engenheiro, Data e a Observação: "Assassinado".




Foto monstrando a posição da lápide, próxima à entrada do túnel de Botujuru.

Seria o vulto misterioso visto por muitas pessoas, o fantasma do Engenheiro Chefe Henry J. Beeck vagando pelo leito da ferrovia à procura de vingança?

These icons link to social bookmarking sites where readers can share and discover new web pages.
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google
  • Furl
  • Reddit
  • Spurl
  • StumbleUpon
  • Technorati