Modo de Preparar o Espelho Mágico




(Método de Papus)


Pegue uma placa de aço ligeiramente côncava e escreva sobre ela nos quatro cantos os seguintes nomes:

Jehovah, Elohim, Mettatron, Adonay

Coloque a referida placa em um pano novo, muito limpo e branco. Logo que chegar a Lua nova, na primeira hora depois do ocaso do Sol, aproxime-se de uma janela, olhe o céu com devoção e diga:

Oh' Eterno! Oh Rei eterno! Deus inefável que criastes todas as coisas por amor de mim e por um desígnio oculto para a saúde do homem, olhe-me (nome do magista) vosso servo muito indigno e considere minha intenção pura. Dignai-vos enviar-me o vosso anjo Anael sobre este espelho, que manda, dirige e ordena a seus companheiros e os vossos súditos, aos que haveis criado ó todo poderoso! Que fostes que sois e que sereis eternamente. Que em vosso nome eles julguem e atuem com retidão para instruir e mostrar o que lhes pedir.

Em seguida, atirai sobre as brasas o perfume conveniente, que é o açafrão oriental, e, ao atirá-lo, dizei:

Nisto, por isto e com isto que eu derramo diante de vossa face, Oh meu Deus! Que sois triuno, bom e na mais sublime elevação, que vedes acima dos querubins e dos serafins e que deveis julgar os séculos pelo fogo, concedei-me vossa graça.

Neste momento, perfuma-se o espelho, colocando-o sobre um fogareiro novo de barro cozido ou de ferro, afim de que ele se encontre impregnado da fumaça do dito perfume, segurando-o com a mão direita e dizendo três vezes a oração precedente.

Depois de a terdes dito, soprai três vezes sobre o espelho e dizei:

Vinde, Anael, vinde, e que seja de vosso agrado estar em mim por vossa vontade, em nome do Pai todo poderoso +, em nome do Filho muito sábio + , em nome do Espírito + Santo muito amoroso; vinde, Anael, em nome do terrível Jeová, vinde, Anael, pela virtude do imortal Elohim, vinde, Anael, pelo braço de Todo-poderoso Metratron, vinde a mim (digao seu nome sobre o espelho) e ordenai a vossos súditos que, com amor, alegria e paz, façam com que meus olhos vejam as coisas que me estão ocultas. Assim seja.

Isto feito, elevai o pensamento ao céu e dizei:

Senhor Todo-poderoso, que fazeis mover tudo o que é de vosso agrado, atendei a minha prece e que meu desejo vos seja agradável; olhai, por favor, Senhor, este espelho e abençoai-o a fim de que Anael, um de vossos súditos, se detenha sobre ele, com seus companheiros, para satisfazer (nome do magista), vosso pobre e miserável servo, ó Deus abençoado e muito louvado por todos os espíritos celestes que viveis e reinais na eternidade dos bons! Assim seja.

Logo que tiverdes feito estas coisas, fazei o sinal da cruz e repeti-o sobre o espelho no primeiro dia e nos seguintes, durante quarenta e cinco dias consecutivos, no fim dos quais Anael aparecerá sob a figura de um belo menino, que vos saudará e ordenará aos seus companheiros que vos obedeçam.

Convém saber que nem sempre são necessários os quarenta e cinco dias para preparar o espelho: muitas vezes, o espírito aparece no 14º dia. Isto depende de intenção, da devoção e do fervor do operador. Quando ele vos aparecer, pedi-lhe o que desejardes e rogai-lhe que apareça sempre que o chamardes para vos conceder o que pedirdes.

Nas ocasiões seguintes, quando desejardes ver no espelho e obter o que quiseres, não é necessário recitar todas as orações que citamos; bastará dizer, depois de terdes perfumado o espelho:

Vinde, Anael, vinde, e que seja de vosso agrado estar em mim por vossa vontade, em nome do Pai todo poderoso +, em nome do Filho muito sábio +, em nome do Espírito +Santo muito amoroso; vinde, Anael, em nome do terrível Jeová, vinde, Anael, pela virtude do imortal Elohim, vinde, Anael, pelo braço de Todo-poderoso Metratron, vinde a mim (digao seu nome sobre o espelho) e ordenai a vossos súditos que, com amor, alegria e paz, façam com que meus olhos vejam as coisas que me estão ocultas. Assim seja.

Terminada a operação, despedireis o espírito, dizendo:

Eu vos agradeço, Anael, por terdes vindo satisfazer o meu pedido; ide-vos em paz e voltai quando eu vos chamar.

0 perfume de Anael é o açafrão.


Alguns magistas fazem a operação por meio de um globo de cristal, cheio das sete águas dos sete mares do mundo.

A mensagem, tal como foi apresentada no globo pelo anjo Anael a uma vidente, foi por ela lida e escrita sob seu ditado, em 28 de Dezembro de 1797:



Incumbido pelo Todo-poderoso, para velar pela felicidade e tranqüilidade dos homens, dou desempenho à missão, cedendo ao desejo dos verdadeiros fiéis que me interrogam sobre o que deve suceder de bem ou de mal; porém, como a felicidade que Deus reserva aos seus eleitos não consiste absolutamente em vãs riquezas, eu afasto toda pergunta que com elas se relacione, ou se eu acedo em as satisfazer, só o faço de maneira a lhe deixar a escolha dos meios de conformidade com a liberdade que Deus dá a todas as suas criaturas. Nada é para mim mais agradável que poder anunciar aos verdadeiros crentes boas novas, uma vez que elas não se achem na categoria daquelas sobre as quais não me permitem uma explicação tão clara quanto se poderia desejar. Entretanto posso explicar algumas das perguntas que me são feitas, uma vez que elas não tenham absolutamente por objeto principal conhecer o mistério das probabilidades da fortuna.


Processo Simples de Adivinhação

pelo Espelho Mágico

Diminua as luzes. Não deixe a luz refletir diretamente sobre o espelho, mas tenha luz suficiente no ambiente para que você possa ver alguma coisa. Olhe fixamente para um ponto do espelho, mas deixe sua atenção cobrir toda a área do espelho. Você deve ver coisas acontecendo no seu ponto fixo. Então, não tente deslocar sua visão, mas mantenha seus olhos colados no ponto fixo. Não tente mudar sua atenção. É necessário tempo e paciência. Não tente interpretar enquanto está visualizando. Se alguma coisa não fizer sentido deixe estar. Descreva suas visões em voz alta, para que alguém ao seu lado possa escreve-las: você não deve lembrar a maior parte delas, desde que você colocou sua consciência em transe. Se estiver a sós, use um gravador. Quando estas visões parecerem confusas, volte ao estado normal, relaxe e acenda a luz.



Alguns significados universais dos sinais:



Nuvens Violetas: harmonia e tranqüilidade.
Nuvens Azuis: conquista e felicidade.
Nuvens Verde: lucro e prosperidade.
Nuvens Amarelas: duvidas esclarecidas em breve.
Nuvens Laranjas : decisões difíceis definitivas.
Nuvens Vermelhas: obstáculos e agitação.
Manchas Claras: pequenos problemas.
Manchas Escuras: grandes problemas.
Estrela: sonhos impossíveis.
Coração: vivência de um grande amor.
Serpente: cuidado com a saúde.
Pássaros: surpresas.
Olho: siga mais a sua intuição.
Espada: desarmonia.
Balança: recompensa justa.
Imagem Interior a Bola de Cristal: presente ou futuro imediato.
Imagem Posterior a da Bola de Cristal: passado que exercera influencia sobre o presente.
Imagem a Direita da Bola de Cristal: boas influências.
Imagem a Esquerda da Bola de Cristal: más influências.




Os espelhos são objetos mágicos por uma vocação que emerge de sua própria natureza física. Espelhos refletem luz! E a luz tem muitas dimensões e significados. O espelho que fala desperta na rainha de vaidade maldosa, primeiro a inveja, depois o desejo de vingança contra a Branca de Neve..

É transpondo o espelho, portal entre dois mundos, que Alice vai conhecer outro estranho país de maravilhas . A perdição de Narciso foi um espelho d'água. A curiosa fascinação causada pela reflexão da imagem no espelho seduziu os povos desde a mais remota Antigüidade.

Egípcios, gregos e romanos confeccionaram espelhos de latão, prata e zinco. Na Itália medieval, as damas, já usavam, presos aos cintos, espelhos práticos, pequenos e redondos, em geral, também feitos de ouro ou prata. Foi no século XIV, que artífices venezianos começaram a produzir espelhos de vidro revestido com fina camada de uma liga de mercúrio e estanho. Em 1833 o revestimento passou a ser feito em prata, tal como conhecemos hoje.

O Iniciado utiliza o espelho mágico para fins diversos. O primeiro deles é o desenvolvimento da vontade por meio do adestramento do olhar como recurso de expressão. Com o olhar educado ele consegue o fenômeno chamado fascinação, ou seja, submissão de alguém decorrente de impressão causada pela luz concentrada emitida pelo espelho ou ainda, emitida pelo olhar do próprio mago, pois que a íris do mago, tal como um espelho, também é refletor de luz. A diferença, no caso da fascinação pelo olhar é que o olho, não somente reflete a luz condensada como também, pode o mago, emitir sua própria luz (energia) através do olhar.

Papus esclarece:

"Os espelhos mágicos são essencialmente órgãos de condensação da luz astral; por isso, o carvão, o cristal, o vidro e os metais poderão ser empregados em sua construção (...) o mais simples dos espelhos mágicos é um copo de cristal cheio de água pura. Ele deve ser colocado sobre um guardanapo branco com uma luz colocada por detrás."

Note que Papus refere-se sempre à luz astral. Infere-se daí, e não há motivo para pensar o contrário, que os espelhos refletem todos os espectros de luz, os visíveis e os invisíveis ao olho físico do humano em estado de consciência normal, ou seja, a vigília.

Através do espelho desenvolve-se também uma faculdade chamada vidência, para ver o que está distante, seja no espaço, seja no tempo. Compreendemos então o sentido do uso da famosa bola de cristal: a bola que reflete a luz é um espelho mágico.

O espelho reflete luz astral assim como reflete a luz solar. Se considerarmos os ensinamentos da tradição esotérica, admitindo que a luz astral possui uma espécie de memória universal, registro de todas as coisas presentes, passadas e futuras, resulta que o mago, fixando o olhar no reflexo do espelho ou partindo de concentração num ponto de luz comum, torna-se capaz de perceber a luz astral e nela distinguir ou acessar as informações que deseja obter.



Papus descreve o exercício do Iniciado com o espelho mágico:

"Quando se olha fixamente, durante alguns instantes, o centro do espelho, sente-se umas picadas características nos olhos, obrigando, muitas vezes, a fechar momentaneamente as pálpebras e, por conseguinte, a anular todos os esforços feitos até então. O piscar é devido ao ser impulsivo [o animal, no homem] e é puramente reflexo; é preciso por isso combatê-lo pela vontade, o que é questão de pouco tempo, fazendo diariamente um exercício de vinte minutos no máximo. No momento em que se sentem as picadas características dos olhos, é preciso desenvolver uma tensão de vontade para impedir que as pálpebras se fechem, o que se conseguirá sem muito esforço. Obtido este primeiro resultado, ver-se-á logo o espelho tomar uma coloração diferente da que ele apresenta habitualmente: eflúvios vermelhos, depois azulados e semelhantes aos eflúvios elétricos; e só então é que as formas aparecerão."

These icons link to social bookmarking sites where readers can share and discover new web pages.
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google
  • Furl
  • Reddit
  • Spurl
  • StumbleUpon
  • Technorati